Lombalgia

Vários indivíduos confundem toda dor nas costas com lombalgia.
Dores na área lombar é mais frequente e afetam não apenas indivíduos com idade elevada, como também um grupo mais jovem (colocando crianças e adolescentes). Igualmente manifestando queixas recorrentes nos consultórios de especialistas.

Porém nem sequer qualquer aflição nas costas implica a existência de uma complicação mais grave na área. A lombalgia, comumente, requer mais cuidado e acarreta sinais que sem a intervenção correta são capazes de ser permanentes. Prejudicando o padrão de vida do individuo.

Causas

Há distintos elementos desencadeantes da lombalgia. Porém, a tese postural está entre os principais elementos de perigo.

Práticas incorretas de postura ao deitar, sentar ou fazer qualquer exercício do dia a dia, no trabalho e lazer são capazes de acarretar em malefícios à coluna.

Porém mais elementos similarmente são capazes de ser apontados como motivos para o progresso da lombalgia. É o caso de inflamações/infecções; hérnias de disco, artrose ou escorregamento de vértebra; sedentarismo; obesidade; elementos genéticos; envelhecimento e até questões emocionais.

A lombalgia acontece na parte inferior da coluna vertebral (coluna lombar). Por volta de 3 em cada 4 adultos vão ter dor nas costas ao longo de sua vida e estes números são capazes de aumentar, por causa do crescimento dos números de grupos mais idosos.

Sintomas

Uma grande cota de indivíduos nos dias de hoje convive com dor lombar, resultado de má postura, sedentarismo, posições incorretas no local de trabalho, nos afazeres domésticos entre mais elementos associados, inclusive a aplicação errada de treinos. Essa dor pode ser aguda ou crônica.

A dor aguda dura, geralmente, de quatro a seis semanas, enquanto a dor crônica pode conservar-se em toda uma vida, indicando uma certa dificuldade bem mais critico na coluna vertebral.

O paciente conta que sua coluna está travada, ele possui limitação na flexão anterior da coluna, dor e limitações nos primeiros movimentos pela manhã.

Tratamentos

Dentre as atividades para tratamento de uma dor lombar, existem uma diversidade de técnicas. Entre as mais conhecidas estão a RPG e a osteopatia.

Enquanto técnicas terapêuticas de tratamento de disfunções na região lombar, no qual o princípio de abordagem do tratamento se difere.

A RPG possui uma atuação mais absoluta sobre a coluna vertebral e a postura, e a osteopatia possui uma atuação mais localizada do tratamento, porém similarmente visando um resultado absoluto.

Ambas partem do princípio de compor a estabilidade do corpo com manipulações e alongamentos associados a reequilíbrio de tensões musculares e posturais. Retirando a sobrecarga e redistribuindo o vigor para outras áreas, tendo como exemplo, a estabilização segmentar. No qual se aprende a contrair de maneira voluntária e eficaz e, sem sobrecarga, os músculos posteriores (multífido), abdominais (especialmente os transversos), numa expiração comum.

Saindo um pouco do aspecto tarapêutico, possuimos o Pilates e o Gyrotonic, com uma abordagem física maior, com consumo de aparelhos e sistemas de polia e molas para fortalecimento muscular, alcance postural e respiratória, servindo como meio facilitador de recuperação pós cura ou inclusive preservando de desconforto lombar.

Todas as abordagens são corretas, a partir de que feitas de maneira criteriosa, respeitando a característica única de cada uma e de seu exercício e, especialmente, de maneira ética, indicando o profissional ideal para cada hora.

Um atleta com dor, precisa ser recomendado a um médico ou fisioterapeuta para análise e tratamento do quadro aflitivo e logo retornando aos exercícios esportivos e preventivo.

Veja também:

Dores nas costas, como tratar e evitar, G1.

Você também pode gostar de ver:

O que é Obesidade?

A importância de uma boa noite de sono

O que é o Triptofano?

Deixe uma resposta